A eficiência é uma questão de inovação

Engineering é desde sempre ativa no desenho e na realização de soluções inovadoras a suporte da integração de crescentes quantidades de energia não programável, proveniente de fontes renováveis.

Nos últimos anos assistimos a um significativo incremento de energia elétrica produzida com fontes renováveis distribuídas (fotovoltaico, eólico, biomassa ...), com a finalidade de reduzir as emissões do gás estufa, aumentar a produção de energia de fontes renováveis e incrementar a eficiência energética total das redes de distribuição da energia elétrica (em virtude da utilização de energia produzida nas proximidades do ponto de consumo). Ações que cabem no âmbito do Plano Europeu 20-20-20 sobre eficiência energética e sobre mudança climática, para realizar até 2020.

A crescente quota de geração distribuída, muitas vezes derivante de fontes intermitentes (solar, eólico) ligadas à rede elétrica mesmo em trechos de média e baixa tensão, torna de fato as redes de distribuição da energia elétrica estaticamente pouco programáveis, e requer modalidades inovadoras de monitorização e de controle em tempo real, habilitadas por níveis de inteligência e de smartness certamente superiores em relação às redes tradicionais.
De outro canto a evolução tecnológica torna disponíveis, a custos acessíveis, funcionalidades ICT cuja presença podia até agora justificar-se somente combinada com infraestruturas de custo unitário elevado - quais as redes de transporte - e abre as portas a uma mudança memorável na própria filosofia de funcionamento das redes de distribuição.

Fala-se, portanto, de Smart Energy Grid entendidas como infraestruturas inteligentes, habilitadas com aplicações inovadoras do ICT a suporte da visão Smart City, capazes de conjugar liberdade dos comportamentos individuais e eficiência de sistema, integração dos recursos energéticos distribuídos e segurança de fornecimento, uso prioritário das fontes renováveis e possibilidade de programar as condições de rede.

Engineering é ativa já há anos no desenho e na realização de soluções inovadoras para as Smart Grid, e adquiriu uma comprovada experiência com o desenvolvimento de aplicações inovadoras a suporte de uma maior, e mais eficiente, integração de crescentes quantidades de energia não programável, proveniente de fontes renováveis, através de uma maior flexibilidade na demanda.

Estas aplicações dizem respeito:

  • ao marketplace da energia como ferramenta a suporte do balanceamento de cargas elétricas e da oferta de energia, e, a longo prazo, a suporte da estabilidade da rede elétrica de nova geração, medida através da redução do número e da duração das interrupções de serviço
  • políticas e mecanismos de demand side management (demand response), veiculados através da presença de um intermediário entre o distribuidor de energia e o consumidor (agregador); estas técnicas são finalizadas a oferecer a necessária flexibilidade (através da redução programada dos consumos) ao operador elétrico objetivando o balanceamento ótimo dos cargos sobre rede
  • a melhor gestão dos consumos energéticos de edifícios públicos inteligentes (smart buildings) com capacidade de auto geração de energia elétrica, capazes de monitorizar, controlar e otimizar os próprios consumos e a troca do surplus de energia com a rede elétrica
  • monitorização e controle em tempo real de sistemas de armazenamento de energia a suporte de fontes renováveis intermitentes, baseadas no hidrogênio, finalizados à gestão ótima de sistemas energéticos híbridos e interconexos (Power to Gas), com plataformas capazes de determinar em tempo real o melhor surplus de energia elétrica e/ou gás (hidrogênio) a ser veiculado através das respectivas redes de distribuição
  • monitorização, controle e gestão ótima dos consumos e da capacidade de geração e troca de energia para Smart Data Center, permitindo aos data center do futuro de interagir:
    1) com a smart grid oferecendo flexibilidade de demanda ao operador elétrico através de políticas de demand-side management
    2) com outros data center confederados na mesma rede (virtual data center) para a eventual migração da carga computacional frente à redução do consumo elétrico no âmbito das políticas de demand-side management com o operador elétrico.
ITENS RELACIONADOS
Energy & Utilities Energy & Utilities Energy & Utilities Energy & Utilities Energy & Utilities Energy & Utilities Energy & Utilities Energy & Utilities Energy & Utilities Energy & Utilities Energy & Utilities
smart cities & government smart cities & government smart cities & government smart cities & government smart cities & government smart cities & government smart cities & government